O ex-presidente da Caixa, Pedro Guimarães, que foi demitido nessa quarta, 29/06, após série de denúncias de assédio sexual revelado na terça, 28/06, já era acusado de comportamento semelhante muito antes de assumir a estatal. Segundo O Globo, Guimarães foi acusado de assédio sexual em pelo menos dois bancos para os quais trabalhou, o Santander e o BTG. Essas denúncias datam de até cerca de 20 anos. No banco espanhol, segundo funcionárias, Guimarães puxava o cabelo das colegas rotineiramente e forçava gestos de intimidade não-compatíveis à atividade profissional. Ele também teria tentado beijar à força uma colega durante uma festa de final de ano. No banco de investimento brasileiro, para onde foi logo após sair do Santander, em 2004, e permaneceu até cerca de 2010, funcionárias e funcionários relatam casos de assédio sexual e moral. Guimarães saiu tanto do Santander quanto do BTG por demissão, mas, segundo executivos dos dois bancos, as acusações específicas de assédio sexual não foram determinantes. Um executivo do BTG não-identificado pelo Globo disse, porém, que Guimarães foi demitido “por causa das doideiras todas”. O jornal também destaca que, quando assumiu a Caixa, em 2019, o executivo já era conhecido como “Pedro Maluco”.

Por: Rozilton Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.